Share on Facebook12Pin on Pinterest0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

CIRURGIA ÍNTIMA – LABIOPLASTIA VAGINAL

Labioplastia – Informações Práticas:

  • Duração da cirurgia1 a 2 horas
  • Tipo de anestesia – Normalmente anestesia local
  • Tempo de recuperação (até regressar ao trabalho) – 2 a 3 dias
  • Cuidados Especiais no Pós- Operatório: Restrição da atividade física, aplicação de gelo, rigorosa higiene íntima, ausência de relações sexuais durante um mês, utilização de vestuário largo.
  • Objectivo da Labioplastia: Permite diminuir os lábios vaginais, eliminar zonas de pigmentação escura destes, remover o excesso de pele à volta do clitóris e reposicionar o mesmo.
  • Preços e Orçamentos – Clique aqui
  • Fotos Antes e Depois de uma Labioplastia
  • Perguntas Frequentes: a quem se destina, 1ª consulta, preparação para a cirurgia, dia da cirurgia, o que muda na sua aparência, resultados da cirurgia, riscos e complicações. Clique aqui para fazer a download.
  • Fotos Antes e Depois de Labioplastia

Dra. Luísa Ramos na TV

LABIOPLASTIA | NINFOPLASTIA

Embora a maioria das alterações externas do aparelho genital feminino esteja relacionada com factores que vão ocorrendo com o avançar da idade, nem sempre é essa a realidade. Em alguns casos, há alterações hormonais, por exemplo, na adolescência, que condicionam aspectos definitivos da aparência genital feminina. Essas alterações podem também estar associadas a diabetes, obesidade, gestações, etc.

Cada vez mais, as mulheres, da mesma forma que dão atenção a outras partes do corpo que pretendem melhorar, como o peito, a face, etc., preocupam-se com a aparência do órgão sexual, para se sentirem mais auto-confiantes, desinibidas e satisfeitas.


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Há vários aspectos que preocupam as mulheres neste tema:

  • Hipertrofia (aumento) dos pequenos lábios;
  • Aumento ou diminuição do tecido adiposo supra-púbico (gorduras do monte de vénus);
  • Perda de tecido adiposo dos grandes lábios;
  • Alterações do intróito (entrada) da vagina;
  • Alterações da pigmentação da região peri-vaginal e peri-anal.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é clínico e pode ser feito por um Ginecologista ou Cirurgião Plástico. Nestes casos, podem ser identificados vários problemas, no entanto, por regra, as mulheres têm ideias bastante concretas do que desejam melhorar.


TRATAMENTO

O tratamento tem várias vertentes, consoante as áreas envolvidas. As várias técnicas podem implicar o uso de laser, de peelings, ácido hialurónico, cirurgia e fisioterapia.

O laser (geralmente de CO2 fraccionado) permite diminuir a flacidez, contrair os diâmetros e melhorar alterações da pigmentação.

Os peelings, da mesma forma que utilizados para outras áreas do corpo, visam melhorar a textura da pele das áreas abordadas e promover um clareamento das mesmas.


AS CIRURGIAS MAIS FREQUENTEMENTE REALIZADAS SÃO:

  • Labioplastia ou cirurgia de redução dos lábios vaginais – para redução do tamanho dos pequenos lábios, uma intervenção realizada com muita frequência, pois quando existe uma hipertrofia muito acentuada dos mesmos torna-se muito incomodativo.
  • Clitoropexia – pode estar indicado em casos em que o excesso de pele cubra de forma exagerada o clitóris.
  • Himenoplastia – algumas mulheres solicitam a reconstrução do hímen, geralmente por motivos culturais.
  • Colpoperineoplastia– para “apertar” as paredes da entrada (intróito) e da vagina.
  • Lipoescultura – pode ser necessário realizar lipoaspiração de algumas áreas (por exemplo, do monte de vénus) ou utilizar enxertos de gordura colhidos noutra região para melhorar o aspecto e o volume de zonas atrofiadas (por exemplo, dos grandes lábios).
  • Bioplastia – podem ser utilizadas injecções de ácido hialurónico em pontos específicos.Todas estas intervenções são realizadas sob anestesia local. Podem ser realizados vários procedimentos simultaneamente ou de forma sequencial em diferentes períodos de tempo. A recuperação não é dolorosa, mas implica algum edema da zona tratada e repouso. Paralelamente, há várias técnicas específicas de fisioterapia que devem ser realizadas para tonificar os músculos do pavimento pélvico.

PROGNÓSTICO

Após a cirurgia, as doentes sentem-se extremamente satisfeitas com melhoria da aparência da sua região genital, contribuindo para a sua autoconfiança e melhoria da sua vida sexual.


SABIA MAIS SOBRE LABIOPLASTIA…

A redução de lábios vaginais é hoje uma prática muito comum entre as mulheres das sociedades ocidentais. Embora seja normal os pequenos lábios vaginais apresentarem diferentes formas e tamanhos, sendo normal haver uma grande diversidade, a verdade é que muitas mulheres preferem ter um tamanho menor dos pequenos lábios.

O excesso de pele nos pequenos lábios da vagina provoca constrangimentos nas mulheres cujos pequenos lábios são grandes e proeminentes, não só pelo tamanho, mas também pelo escurecimento.

Embora na grande maioria dos casos a hipertrofia dos pequenos lábios não apresente limitações à actividade sexual, muitas mulheres sentem-se embaraçadascom uma aparência algo volumosa dessa zona. No entanto, as queixas mais frequentes estão relacionadas com alguma vergonha quando vestem fatos de banho ou roupa de ginástica e revelam grande desconforto e por vezes dor e feridas quando realizam actividades físics como cycling ou ginástica. Estes aspectos acabam por perturbar a vida quotidiana de quem se sente com este problema.

Em que consiste a cirurgia?

A prática mais comum para a redução dos lábios vaginais é a labioplastia ou ninfoplastia. Trata-se de uma intervenção cirúrgica realizada nos pequenos lábios da vulva, onde a pele em excesso é retirada. No entanto, a região tem de ser avaliada num todo para ser correctamente abordada.

labioplastia ninfoplastia

A intervenção é realizada com uma ligeira sedação e anestesia local. Depois de administrada a anestesia local, o excesso de tecido é retirado, sendo restaurado o aspecto natural e estético daquela zona do corpo. A sutura é efectuada com recurso a fio absorvível, que cai espontaneamente poucos dias depois da cirurgia e não deixa cicatriz aparente. É expectável algum desconforto e bastante edema no período pós-operatório, sendo recomendado fazer repouso no pós-operatório imediato.


Veja o que a Dra. Luísa Ramos tem a dizer:

Entrevista da Dra. Luísa Ramos no Você na TV:

Entrevista da Dra. Luísa Ramos na SIC Notícias:


Formação da Dr. Luísa Magalhães Ramos em Cirurgia Íntima:

A Dr.ª Luísa Magalhães Ramos é médica especialista em Cirurgia Plástica Reconstrutiva. Licenciada pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, fez a especialidade no Hospital de S. José, em Lisboa. Ultimamente tem-se dedicado muito à cirurgia íntima feminina, tendo realizado diversas formações e visitado centros internacionais especializados nessa área. A salientar:

  • Prof. Dr. Stefan Gress, em Munique, na Alemanha (Outubro de 2014);
  • Curso sobre Cirurgia Íntima Feminina- Dra. Lina Triana (Colombia), Montreal (Maio 2015)
  • Curso de Rejuvenescimento Vaginal a Laser e Designer Laser Vaginoplasty (R), Dr. David Matlock, Los Angeles (Novembro de 2015)
  • A Dra. Luísa Magalhães Ramos é a única médica em Portugal certificada pelo Laser Institute of Vaginal Rejuvenation of America.

Informação Adicional:

Por ser uma área sensível e de grande intimidade, a equipa que trata a cirurgia íntima é exclusivamente feminina.


Dúvidas?

Coloque-me as suas questões.


O SEU NOME*

O SEU EMAIL*

TELEFONE*

ESTOU INTERESSADO(A) EM*:

MENSAGEM


IMAGENS ANTES E DEPOIS

TESTEMUNHOS


Dra. Luísa Ramos na TV:

O SEU NOME*
O SEU EMAIL*
TELEFONE*
ESTOU INTERESSADO(A) EM*:
MENSAGEM
Share on Facebook12Pin on Pinterest0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone