Share on Facebook7Pin on Pinterest0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

MAMA MASCULINA (GINECOMASTIA)

O que é a Ginecomastia?

A ginecomastia caracteriza-se por um excesso de pele, gordura e glândula mamária, unilateral ou bilateral no homem.

Aparece na adolescência ou na vida adulta, tendo uma incidência de cerca de 32% dos homens. Cerca de 65% dos rapazes adolescentes são afectados e em 75% dos casos é bilateral.

Na maioria dos casos, trata-se de um problema idiopático (isto é, sem causa conhecida), mas em muitos outros casos há múltiplos factores associados, nomeadamente fisiológicos (no período neonatal, na adolescência e na velhice, associados a diminuições dos níveis de testosterona), patológicos (associados a cirrose, tumores da supra-renal, hipertiroidismo, hipogonadismo, tumores testiculares) e farmacológicos (associados ao consumo de marijuana e esteróides e alguns medicamentos como bloqueadores dos canais de cálcio, espirinolactona, cimetidina e cetoconazol).

A presença de ginecomastia não está associada a um maior risco de cancro da mama no homem.

Quais as manifestações clínicas da Ginecomastia?

O aumento do volume da mama no homem é evidente e muitas vezes perturbador para o mesmo, estando frequentemente associados a factores psicológicos pelo embaraço que o volume mamário exagerado lhes provoca, referindo limitações na prática desportiva e em outras actividades sociais, como ir à praia ou usar um vestuário mais justo.

Qual o diagnóstico da Ginecomastia?

Para fazer o diagnóstico temos  de avaliar a presença de um aumento predominantemente glandular ou adiposo (de gordura), a presença ou não de massas, a qualidade da pele, o grau de ptsose (se a mama está ou não descaída), o posicionamento e a dimensão dos mamilos e aréola e assimetrias existentes. Tipicamente, considera-se uma classificação de quatro graus, que vai do 1º (mais leve, com uma hipertrofia mínima e sem ptose) ao 4º grau (mais grave, com um volume superior a 500gr e com ptose acentuada).

Qual é o Tratamento da Ginecomastia?

Nos casos idiopáticos, frequentemente há uma regressão ao fim de 3 a 18 meses. Nos casos em que está presente há mais de doze meses, raramente regride.
Em doentes obesos está aconselhada a diminuição de peso. Os restantes podem ser tratados com cirurgia após uma devida eliminação de eventuais causas subjacentes (ex: tumores, fármacos, consumo de algumas substâncias como hormonas ou cannabis).

O tratamento cirúrgico é realizado com anestesia local e sedação. Quando o volume mamário presente é de natureza adiposa (gordura), idealmente é realizada uma lipoaspiração pois permite, através de uma incisão praticamente invisível, remover o volume indesejado. Noutros casos em que tal não é possível,  efectua-se a remoção do tecido mamário  por uma incisão através da aréola de forma a remover o volume e corrigir a ptose que possa existir.

No período pós operatório é necessário utilizar um colete de compressão durante o dia e  a noite pelo período de um mês e ter actividade física moderada.

Preço da Ginecomastia?

No que se refere à Ginecomastia, cada caso é um caso. Por isso, para lhe darmos o melhor preço para o seu caso, relate o seu problema à Drª Luísa Magalhães Ramos através do «Formulário de Contacto».

Veja o que a Drª Luísa Ramos tem a dizer sobre Ginecomastia:

BLOG DRA. LUÍSA RAMOS, ARTIGOS SOBRE Ginecomastia:

Ginecomastia: O que é?
Tratar a Ginecomastia
Ginecomastia: Resultados e Cuidados Pós-operatórios
Ginecomastia: Factores Psicológicos

Receba informações úteis da LMR


powered by MailChimp!

Dúvidas?

Coloque-me as suas questões.


O SEU NOME*

O SEU EMAIL*

TELEFONE*

ESTOU INTERESSADO(A) EM*:

MENSAGEM


O SEU NOME*
O SEU EMAIL*
TELEFONE*
ESTOU INTERESSADO(A) EM*:
MENSAGEM
Share on Facebook7Pin on Pinterest0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone