Hiperhidrose – O que é?

Se Gostou Partilhe...
Share on Facebook
Facebook
0Pin on Pinterest
Pinterest
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

A hiperhidrose é a produção excessiva de suor. É uma condição que se torna bastante constrangedora para quem sofre deste problema pois qualquer actividade social passa a ser um obstáculo.

O indivíduo preocupa-se constantemente em esconder as nódoas de suor, precisa de mudar de camisa várias vezes durante o dia ou evita até cumprimentar as pessoas pois tem as palmas das mãos suadas. Este comportamento pode chegar a ser prejudicial no ambiente profissional e criar problemas do foro psicológico.

 

É nas axilas, na palma das mãos e na planta dos pés que a hiperhidrose se manifesta com maior frequência, podendo também afectar a face, o couro cabeludo, as virilhas e outros sítios do corpo.

A genética é a principal causa da produção excessiva de suor, sendo esta considerada a hiperhidrose primária. Aquela que surge mais tarde, podendo aparecer a qualquer momento, chama-se hiperhidrose secundária. Esta pode surgir devido a estímulos emocionais, menopausa, ou devido a um desequilíbrio na parte do cérebro que regula a temperatura corporal.

O aparecimento deste problema pode dever-se ainda a outras condições médicas que são desconhecidas do paciente, como, por exemplo, um tumor.

A hiperhidrose pode provocar desidratação ou infecções nas regiões afectadas.

Quem sofre de hiperhidrose chega a suar 5 vezes mais do que uma pessoa que não tem esta doença. Estudos comprovam que este problema afecta cerca de 2% da população mundial.

Hiperhidrose - LMRÉ geral pensar-se que esta doença afecta mais os homens, mas o facto é que afecta igualmente homens e mulheres, mas atinge principalmente pessoas entre os 25 e 64 anos.

A maioria dos casos mostra que o paciente tem algum familiar com o mesmo problema, indicando que a doença tem uma predisposição genética.

Recorrer a anti-transpirantes raramente é solução para quem sofre de hiperhidrose. Para atenuar esta situação, na região das axilas, pode ser utilizado um desodorizante com cloreto de alumínio, mas este não tem um efeito total e pode criar irritação na pele.

Caso estes desodorizantes não diminuam os sintomas ou em casos de hiperhidrose noutras zonas do corpo, o melhor é recorrer à injecção da toxina botulínica que diminui o problema ou, então, à cirurgia que é a opção mais definitiva.

Saiba mais sobre Hiperhidrose em www.lmrcirurgiaplastica.pt

Se Gostou Partilhe...
Share on Facebook
Facebook
0Pin on Pinterest
Pinterest
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email