Recuperação pós parto: que cirurgias e tratamentos devo escolher?

Se Gostou Partilhe...
Share on Facebook
Facebook
0Pin on Pinterest
Pinterest
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

O que é a recuperação pós-parto?

A gravidez, apesar de ser um processo natural na mulher, deixa as suas marcas pois as alterações corporais não desparecem prontamente com o nascimento do bebé. Alterações anatómicas e fisiológicas que acontecem no corpo da mulher durante os 9 meses de gestação são fruto do efeito das hormonas, como o estrogénio e progesterona, nos tecidos do organismo para preparação do mesmo para a gestação, parto e amamentação.

recuperação pós partoA gravidez é um processo de novas transformações no corpo da mulher, de uma forma lenta e gradual, demorando entre 8 a 10 meses para que o corpo da mulher volte à sua forma antiga.

Ao longo da gestação é comum o aumento de peso, dos seios, o surgimento de estrias e até de aparecimento de manchas na pele.

É necessário que a mãe esteja consciente de que a recuperação pós-parto vai demorar algum tempo e que acções preventivas são mais eficazes para que o corpo volte ao que era antes. Hidratar a pele ao longo da gravidez permite que esta permaneça mais elástica e voltando à sua forma anterior mais facilmente, minimizando o surgimento de estrias. Também uma alimentação saudável evita o excesso de peso durante a gestação. A amamentação promove a perda de peso, mas traz também inconvenientes em relação à mama e ao mamilo.

Muitas destas alterações permanecem mesmo após o parto pois a resposta do corpo na recuperação pós-parto está dependente de factores genéticos e do estado físico anterior da mulher antes de engravidar. Músculos e pele tonificada, pele hidratadas e ausência de estrias antes de engravidar são um contribuinte importante para a recuperação dessas características após o parto.

Que cirurgias estéticas podem melhorar a aparência do corpo após o parto?

Na recuperação pós-parto, mesmo após a recuperação do peso anterior à gravidez, a mãe pode apresentar alterações permanentes na forma do seu corpo (gordura localizada), seios descaído, aureolas aumentadas, estrias e pele flácida. Apesar de ser uma altura feliz para a mulher, estas alterações trazem à mãe sentimentos de saudade do seu antigo corpo.

Para estes casos, existem várias cirurgias estéticas que podem corrigir as alterações indesejadas que surgem no período da recuperação pós-parto.

Muitos cirurgiões plásticos afirmam que se deve esperar pelo menos 12 meses após o nascimento do bebé para que uma mulher se possa submeter a uma cirurgia estética e que o peso corporal da mulher tem ainda de estar muito próximo do ideal.

Os peelings e sessões de laser podem combater, por exemplo, as manchas na pele.

A lipoaspiração é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados para remover o excesso de gordura acumulada na zona da barriga.

O excesso de pele aparece em quase todos as mulheres depois do período de gestação. Isto acontece porque há um grande aumento do volume abdominal, que causa o estiramento da pele. Nos casos em que para além da gordura acumulada, exista também um excesso de pele, poderá estar aconselhada uma abdominoplastia ou uma lipoabdominoplastia. A abdominoplastia destina-se à remoção do excesso de pele abaixo do umbigo, “esticando” a pele que sobra. É, igualmente, uma técnica cirúrgica capaz de retirar as estrias situadas entre o umbigo e os pêlos púbicos. Pode ainda corrigir algum grau de flacidez muscular da parede abdominal, reposicionando os músculos rectos do abdómen que estejam afastados. A correcção do afastamento muscular dos rectos abdominais chama-se plicatura da baínha dos rectos.

Um aumento excessivo de peso aumentará também o volume mamário. A mamoplastia de redução é um procedimento cirúrgico que tem como objectivo diminuir o tamanho dos seios. Durante a cirurgia é retirada glândula, gordura e pele da mama. Esta cirurgia, para além de ser utilizada para diminuir o tamanho dos seios, é também recomendada para mulheres com involução mamária pós-parto (mulheres que permaneceram com seios volumosos). Para além de melhorar a auto-estima das mães, ajuda ainda a corrigir a postura e diminui as dores nas costas. A redução da mama é uma técnica cirúrgica segura, sempre que realizada por uma equipa médica competente e devidamente treinada. No entanto, tal como outras cirurgias estéticas, não está isenta de complicações. As técnicas utilizadas garantem que a função de amamentação não é afectada, permitindo à mulher amamentar no futuro.

As estrias constituem um grande problema durante a gestação pois mesmo as mulheres que não as tinham podem vir a desenvolvê-las durante a gravidez. As principais regiões do corpo afectadas são seios, flancos, coxas e nádegas devido ao estiramento abrupto da pele não elástica. Entre as opções de tratamento médico não existe nenhum que as consiga eliminar por definitivo. No entanto há métodos capazes de produzir resultados bastante satisfatórios. O tratamento a laser, por exemplo, é indolor, produz bons resultados e o grau de satisfação dos utentes normalmente é elevado. O número de sessões depende do grau de hidratação e estado da pele do paciente e deve ser complementando com o uso de cremes. O laser promove a criação de novas células de sustentação da pele (elastina e colagénio).

A abdominoplastia também pode ser recomendada para mulheres que após o parto ficaram com a pele da região abdominal flácida e com estrias. A adbominoplastia não consegue remover as estrias da região lateral ou da região superior ao umbigo.

Se Gostou Partilhe...
Share on Facebook
Facebook
0Pin on Pinterest
Pinterest
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email