O peeling químico profundo é seguro? Em que situações é usado?

Tenho cicatrizes de acne e manchas na pele. Devo fazer um peeling químico médio ou profundo?

Os peeling são procedimentos médicos que têm como objectivo a renovação das camadas da pele, a epiderme e a derme. Ao serem eliminadas as células danificadas mais superficiais, as células mais jovens vão substituir as primeiras, levando a uma melhoria da qualidade e textura da pele, um aspecto mais jovem e mais saudável.

O peeling médio é utilizado para o tratamento de cicatrizes leves de acne, rugas mais profundas, manchas de pele, textura áspera e descamativa.

Os produtos químicos utilizados, como por exemplo o ácido tricloroacético e o ácido glicólico, serão usados em determinada concentração para penetrarem na epiderme e porção superior da derme

No peeling químico profundo, a profundidade onde os químicos vão actuar é maior, atingindo a derme, sendo que os resultados conseguidos são melhores pois são removidas quase a totalidade das camadas da pele danificadas. Para além da eliminação mais eficaz das alterações da pele, também efectuadas pelo peeling médio, o peeling profundo pode melhorar o tónus da pele, adiando a necessidade de um lifting facial. O procedimento é mais doloroso e agressivo, sendo necessário o uso de sedação para a sua tolerância. Os produtos químicos utilizados são substâncias mais fortes e com concentrações maiores.

Deve ser procurado um médico com experiência no peeling químico profundo, pois os resultados podem ser desastrosos se não forem aplicados por profissionais creditados e com experiência. Os médicos habitualmente com a formação particular para estes tratamentos estéticos são os cirurgiões plásticos e os dermatologistas. Estes profissionais saberão avaliar o tipo de alterações que a pele apresenta e deverão aconselhar o melhor tratamento, pesando os riscos e os benefícios de cada uma, nomeadamente do peeling profundo.

Que riscos podem ocorrer no peeling químico profundo?

peeling quimicoQualquer tipo de peeling tem riscos associados e os resultados dependem não só dos produtos e concentrações utilizadas, como também dos cuidados prévios e após o tratamento e ainda do tipo de pele apresentada.

Para minimizar tal facto é importante que se escolha um médico experiente e creditado para este tipo de tratamentos. É também importante seguir as suas indicações tanto antes como após o peeling profundo.

O peeling químico profundo produz uma coloração pálida e consistência tipo cera à pele tratada, podendo a pele apresentar uma aparência pouco natural, podendo ocorrer com carácter permanente. Por estas razões o peeling profundo é desaconselhado a pessoas de pele mais escura. É também possível ocorrer hiperpigmentação (manchas castanhas) com a regeneração da pele nova, sendo mais frequente em mulheres gravidas ou a tomar anticoncepcionais.

Também podem ocorrer infecções e cicatrizes derivadas das feridas efectuadas pela descamação da derme (camada mais profunda da pele).

O que devo esperar durante e após o peeling profundo?

O peeling químico profundo, sendo um procedimento agressivo e até doloroso, obrigará a uma sedação ou anestesia durante o processo. O tempo de duração pode variar entre trinta minutos a duas horas.

Após a preparação da pele, é aplicado um produto químico que será responsável pelo peeling, penetrando até a derme e levando à descamação da mesma. Após o tratamento é habitual o edema da face, eritema (vermelhão), crostas e descamação da pele. No pós procedimento imediato podem ser aplicadas ligaduras para protecção da face ou pode ficar apenas com uma solução hidratante e gordurosa, exposta ao ar.

Sete a dez dias após o peeling profundo, nova pele começa a surgir debaixo das crostas e da pele morta superficial. Esta terá um aspecto rosa, fino e brilhante. Será necessário proteger esta nova pele contra raios ultra violeta e a maquilhagem apenas é aconselhada após 4 a 5 dias do surgimento da mesma, podendo voltar à vida diária aproximadamente 14 dias após o peeling químico profundo.